domingo, 21 de abril de 2013

Críticas TMJ - Edição #56


A edição #56 da turma jovem foi lançada no mês passado. E hoje(21), trago mais um "Críticas TMJ"! :D Confiram abaixo, a crítica/resenha feita pelo site (CONTÉM SPOILERS):
Nossos medos

Quem nunca teve medo de alguma coisa, que atire a primeira pedra. E muitas pessoas ainda tem medo de várias coisas. Seja o medo de filmes de terror, o medo de não passar num ENEM da vida ou pior, o medo de que nada do que sonhamos para o futuro aconteça. A edição #56 da Turma da Mônica Jovem trata sobre o medo, de uma forma simples mas que achei que chegou à um ótimo desfecho.
Marina tem um sério problema com os animais (fato!). Eu também tenho medo de alguns cachorros, mas Marina tem medo de todos! De gatos também, como vimos na edição #53 “Tem Gato no Meu Café!”. Mas como ela mesma disse no começo da história, “o medo não é coisa lógica. A gente só... sente.” Não queremos ter medo, mas temos. Queremos vencê-los. O tema da história foi muito interessante e novamente parabenizo a Petra Leão por mais um ótimo roteiro!


Aquela parte que o Franja fala que ama a Marina. Do contrário, não teria deixado o Bidu no quintal porque a Marina tem medo. Ele teve de tomar uma decisão difícil, porque ama os dois, mesmo que amar uma pessoa é diferente de amar um animal. O que achei estranho, no começo, foi quando o Franja falou que a turma (Mônica, Cebola, Magali e Cascão) conseguiu lidar com seus problemas. Tirando a Magali e o Cascão, o problema entre Mônica e Cebola ainda não se resolveu “totalmente”. Eles ainda brigam e o Cebola quer derrotar a Mônica para eles dois poderem namorar. Então, o problema deles foi resolvido “em parte”, eu acho. E outra: Franja falou que o medo da Marina por cachorros não é nada. Claro que é alguma coisa! E muito sério. Ela gosta do Bidu, mas tem medo de chegar perto dele e acontecer alguma coisa. É normal qualquer pessoa sentir a mesma coisa.
Aí, claro, como a vida sempre faz com a gente, aparece algo para tentarmos perder nosso medo: para a Marina, um cachorro abandonado no caminho. Marina tenta ajudar, apesar de não ter muito êxito. Quando ela tenta ajudar novamente, não consegue porque teria de chegar perto. Aí, chama a turma pra ajudar. E como se não bastasse, a vida (ou a Petra, kkkkkkkk), prega mais uma peça na Marina: ela vai ter de cuidar do cachorro, que ganha o nome de 42.


É legal ver que aos poucos Marina perde o medo pelo 42. Cuida dele, adestra, leva pra passear... E antes, diz que é responsável por ele. Uma grande conquista para ela! E um ponto ótimo da história é que mostra como cuidar corretamente dos cachorros. E numa das cenas, quando o 42 vira inspiração dela para um desenho, vemos que a nossa inspiração pode vir de onde menos imaginamos.
Agora, o vilão da história, que a Petra criou muito bem. O cara, aparentemente normal e legal, era um dono maldoso e cruel. A cena em que ele bate no 42 foi bem dolorosa pra mim. E olha que nem tenho cachorro, imagina pros que tem! Inúmeros casos de violência com animais já foram mostrados na televisão. Como essas pessoas tem a coragem de fazer isso? É algo tão absurdo... A Marina fica triste quando o 42 vai embora. Como se uma parte dela, tivesse deixada de existir. E quando descobre que o dono do 42 é violento, ela vê que tem de fazer alguma coisa. Nessa parte, dá pra ver que ela ama o cão e perdeu o medo por ele. E de alguma forma, quando ele vê a salsicha na mão do seu dono e olha para a cara da Marina, “percebe” que é com ela que ele tem de ficar. Os cães podem até não pensar, mas sentem.

O que eu tinha para falar da edição era isso. Acho que não tem pontos negativos, tirando o problema da Mônica e do Cebola, que eu possa falar dessa edição. Também, não posso deixar de falar que gostei que a Marina não tenha perdido totalmente seu medo. Ela continuou com medo do Bidu. Como ela disse, vencemos nossos medos aos poucos...

Pedro Henrique
Também quer falar sobre a edição #56 e sobre a resenha/crítica? Então, comente! :D

*Com relação à crítica da edição #55, não escrevi porque estava muito atarefado. Por isso, não terá crítica sobre ela.

Siga nossas redes sociais: Twitter / Facebook

5 comentários :

Administrador disse...

Você não é a pessoa mais indicada para fazer criticas, você vê tudo como um fã da revista que não consegue enxergar os pontos negativos da edição que não são poucos. Espero que meu comentário não seja apagado mais uma vez.

Pedro Henrique disse...

Excluí seu comentário anterior porque você não se identifica, não diz quem é. Só aceito comentários no site de usuários que posso identificar.

Pedro do TMJ Mania

Marquinhos disse...

A critica ficou ótima ... E tambem achei muito importante tambem o tema que foi abordado nesta edição ... "Maus Tratos a Animais" , e na proxima edição tambem terá um assunto muito importante , Cyberbulling ... A TMJ está sempre evoluindo pra melhor,graças a Deus :D

Pedro Henrique disse...

Gostaria de ressaltar um assunto q me veio na mente assim q li a edição..
o nome do cachorro! "42"

Na turma da Mônica criança, há muito tempo, existiu um cachorro chamado 42, mas anos depois caiu no esquecimento, como dizem por ai...
Ele era preto, magro assim e com esse nome..
na revista ele era cachorro de uma filha original do Mauricio e apareceu apenas umas 3 vezes, quando uma vez foi no estúdio MSP pro Mauricio tomar conta! Fez a maior confusão, pena q foi esquecido... Eu notei isso assim que comecei a ler.

Tem também um ditado q diz que a resposta pra tudo é 42, tem ateé provas disso mas eu esqueci! =S

Kássia Calonassi disse...

Não gostei do destaque do Do Contra na capa, a expressão do rosto dele me fez pensar que ele estava preocupado com a Mônica. Ele não aparece na história em nenhum momento e é um dos únicos da turma que não foi difamado.

PARABÉNS! VOCÊ ENCONTROU A FIGURINHA 47 COM A MAGALI JOVEM!